Árpád Binecz (Bini) começou como engenheiro de sistemas embarcados. Trabalhou em uma startup, fundou sua própria empresa e agora, está criando websites como desenvolvedor web júnior. Aproveite nossa entrevista com um de nossos ex-alunos no segundo episódio de “Histórias de Sucesso da CodeBerry”.

Qual era o sua profissão antes de mudar para o desenvolvimento web?

Eu tenho formação em engenharia elétrica. Trabalhei como engenheiro de sistemas embarcados em uma empresa automotiva por quatro anos. Trabalhei em uma startup e também comecei minha própria empresa de gerenciamento de tempo de livre, que eu já vendi.

O que faz um engenheiro de sistemas embarcados?

Um engenheiro de sistemas embarcados desenvolve circuitos, não para computadores, mas sim para microondas ou carros. Esses circuitos fazem as coisas acontecerem com o apertar de um botão.

Sua profissão anterior fez com que aprender a desenvolver sites ficasse mais fácil?

Um pouco, por exemplo no pensamento algorítmico.

Por que você resolveu mudar para o desenvolvimento web?

Primeiramente, eu estava realmente interessado em IoT (internet das coisas) Eu conhecia muito bem as ferramentas devido à minha profissão anterior, mas não tinha ideia de como as coisas apareceriam em um navegador. Eu estava curioso. Afinal, estudei para me tornar engenheiro porque gosto de entender as coisas. 🙂
Em segundo lugar, eu queria continuar o empreendedorismo e este tópico parece ideal para isso: começar com alguns sites e criar uma pequena agência digital. Muita gente fez a mesma coisa no meu ambiente e parece um caminho bem fácil de ser percorrido.

Quando perguntam sobre sua profissão, o que você responde?

Depende de quem está perguntando, se for alguém fora do ramo ou um amigo meu da escola de tecnologia. No primeiro caso, digo que sou um novato em TI. Caso contrário, digo que sou um desenvolvedor de sites júnior.

O que isso significa? Normalmente, como é o seu dia?

Desenvolvemos grandes sistemas de TI na Apertus Kft. Eu sou responsável por uma pequena parte disso. De maneira simples: recebo projetos prontos e os transformo em websites. Eu trabalho na aparência, mas, por exemplo, criar um botão clicável não faz parte do meu trabalho.
Sendo um pouco metafórico, é assim que eu descreveria a profissão de desenvolvedor de sites: é um grande arranque, com um tipo de conhecimento que se aprende rápido e possibilita que fiquemos de pé no pantanoso solo das tecnologias web, bem como do mercado de trabalho de TI.

Quais linguagens você usa diariamente?

HTML5, CSS3, SCSS e Bootstrap. Eu também usei o JQuery uma vez. Como criador de sites, eu crio as peças que o desenvolvedor líder usa para concluir o site.

Você gosta do seu trabalho? 🙂

Sim. Gosto muito dos meus colegas. Estou um pouco insatisfeito comigo mesmo porque sinto que posso fazer melhor e aprender mais rápido.

Quanto tempo você costuma utilizar para procurar um emprego?

Deixei meu emprego anterior em junho, comecei a estudar em julho e estava trabalhando no começo de setembro. Eu quase sempre tenho uma oferta de trabalho através de amigos.

Você procurou algum lugar além da CodeBerry para seus estudos?

Não, somente a CodeBerry.

Você, sendo um ex-aluno, pode dar algum conselho para os iniciantes?

Acho que vale a pena ter uma visão geral de todo o campo antes de escolher uma tecnologia e ir a fundo nela. É melhor saber muito sobre poucas coisas do que conhecer um pouco de tudo. Por exemplo, HTML5, CSS3, SCSS e Bootstrap são um ótimo combo. Você pode facilmente se tornar um desenvolvedor júnior com eles.

Em nossa série “Histórias de Sucesso da CodeBerry”, conversamos com nossos ex-alunos que conseguiram encontrar um emprego como desenvolvedor. Se você quiser saber como, este tópico é para você. 🙂

Você gostaria de aprender a programar? Venha e experimente nossas primeiras lições gratuitamente na Escola de Programação CodeBerry.