János Farkas é um técnico de construção, um artista gráfico aplicado e um padeiro de profissão.
Ele trabalha como desenvolvedor de frontend júnior na Y-collective (uma empresa húngara) desde janeiro.
Neste episódio de Histórias dos Estudantes, vamos levá-lo em uma jornada de acompanhamento com um ex-aluno da Escola de Programação CodeBerry.

  • Eu moro aqui: Pécs, Hungria
  • Eu trabalho aqui: Y-collective
  • Eu estudei na CodeBerry por: 2 meses
  • Eu uso: PHPStorm, Stack Overflow, CSS-tricks, W3Schools

Quando perguntam sobre sua profissão, o que você responde?

Primeiro de tudo, eu digo que sou um programador. Geralmente, todo mundo entende isso.
Na maioria dos casos, as pessoas ficam interessadas quando digo qual é a minha profissão. Então, eu dou mais detalhes, explicando que eu preparo a interface do usuário de páginas da web visível para os usuários.
Às vezes, eu também trabalho com scripts junto com o servidor.

O que você fazia antes de mudar para o desenvolvimento web?

Esta é a primeira vez que trabalho como desenvolvedor de sites. No entanto, comecei a me familiarizar com esse campo muito antes.
Há cerca de 10 anos que eu me interesso por este campo, mas só comecei a levar a sério no ano passado.
Até agora eu criei apenas alguns sites menores e eu os faria de uma maneira diferente agora. 🙂
Quanto aos meus empregos anteriores, trabalhei no setor comercial por 10 anos.
Como gerente do departamento de padaria de um superloja de 7000 metros quadrados, minha tarefa era supervisionar a produção, as compras, os cronogramas e qualquer coisa relacionada.
Então, foi uma grande mudança para mim.

Por que você decidiu começar a estudar desenvolvimento web?

Eu sempre fui fascinado pela parte de software da Ciência da Computação.
Todos os anos, a internet e as tecnologias relacionadas à web desempenham um papel cada vez maior em nossa vida cotidiana.
Isso resulta em uma necessidade urgente de mais e mais desenvolvedores profissionais.
Eu quis aproveitar esta chance.
🙂

Conte-nos um pouco sobre onde você trabalha agora, quais são suas tarefas. O que você faz em um dia ou semana típica?

Eu trabalho como um desenvolvedor de sites júnior no Y-collective. Nosso escritório fica no centro de Pécs.
No início da semana, há uma reunião de gerenciamento de projetos em que as tarefas são determinadas e atribuídas. Portanto, é mais ou menos claro o que todos vão trabalhar durante a semana e talvez na semana seguinte.
Temos muitos projetos, então temos várias tarefas.
E pode acontecer que algum assunto urgente ou de um bug surgir em uma base ad hoc.
Meus dias geralmente começam por volta das 6 da manhã, com uma xícara de café.
Enquanto eu bebo, eu olho as notícias ou leio sobre algo que eu estava lidando no dia anterior.
Eu costumo ir trabalhar de bicicleta. O horário oficial de trabalho é das oito da manhã às quatro da tarde e às vezes eu fico meia hora ou uma hora a mais.
Além do desenvolvimento, fazemos mudanças, correções de erros, importação de módulos existentes para outros projetos, tarefas administrativas, modificação de banco de dados…
Recentemente, começamos a nos concentrar mais em desenvolvimentos exclusivos em WordPress.
Às vezes, é preciso pesquisar um pouco ou fazer uma mudança de plugin, então não é chato.
O que eu uso diariamente é PHP, HTML, CSS, SCSS/LESS, Javascript / jQuery, Node / Bower, Bootstrap e git.
Há treinamentos internos semanais e quinzenais e encontros sobre determinados assuntos.

Por quanto tempo você procurou um emprego? Foi difícil encontrar um lugar para trabalhar?

Eu não fiquei procurando um emprego por muito tempo. Ou melhor, eu não esperava poder entrar no mundo da TI num período tão curto de tempo.
Adam Freisinger, um dos mentores da CodeBerry, me perguntou sobre meus objetivos profissionais, pois eu estava fazendo um bom progresso com os materiais.
Eu não mantive em segredo que pretendia trabalhar nesse campo, então ele organizou uma entrevista para mim, e eu consegui uma tarefa experimental, e mais tarde um trabalho.
Por este meio, gostaria de agradecer a todos pelo apoio. Farei o meu melhor para compensar por tudo isso 🙂

Como você aprendeu programação? Que tipo de cursos, livros etc. você usou?

No começo, pesquisava materiais on-line, li artigos e fiz tutoriais.
Depois, houve ainda mais auto-estudo e, em seguida, o próximo passo foi CodeBerry.

O que a CodeBerry ofereceu a você? Como foi estudar na nossa escola?

Eu estava procurando por um curso on-line que poderia me ajudar a chegar ao próximo nível. Mas, por várias razões, nenhum deles parecia muito bom.
Então eu tropecei na CodeBerry.
Gostei muito da abordagem: eles não apenas perceberam que os indivíduos precisam desse curso, mas também que o setor de TI precisa de profissionais juniores.
Uma relação simbiótica é construída a partir dessa abordagem, que atende às necessidades de todos.
O estudo é completamente personalizado: todos podem progredir no seu próprio ritmo. Se alguém ficar preso em alguma tarefa, a ajuda está disponível na comunidade do Slack e com a Amanda.
Eu não diria que encontrei muitas informações novas no material de ensino, mas, para mim, foi muito útil revisar para preencher as lacunas que eu tinha e para aprofundar meu conhecimento.
Pessoalmente, o serviço extra que a CodeBerry me forneceu foi que eu poderia avaliar meu conhecimento muito bem. Por isso, eu fiquei mais confiante em tomar a decisão de me testar.

Você tem alguma experiência, dicas ou truques para compartilhar com aqueles que estão apenas começando seus estudos?

Comece um projeto paralelo enquanto estuda. Dê uma solução para um problema real, não importa quão pequeno seja.
Dá para aprender muito assim.
Fique à vontade para copiar uma solução ou partes dela, mas planeje sua própria versão, analise e entenda as partes que não são óbvias para você.
Até mesmo o escopo de seus estudos pode ser construído sobre isso.

Qual é o seu próximo passo? Que direção você está tomando?

Primeiro de tudo, eu definitivamente quero aprofundar meus conhecimentos e conversar com meus colegas.
Temos uma equipe muito bem preparada e experiente. Todos são muito bons no que fazem e eu aprendo muito com eles todos os dias.
Então, eu quero alcançar meus próprios limites e, bem… vamos ver.

Em nossa série “Histórias de Estudantes”, conversamos com nossos alunos que conseguiram encontrar um emprego de desenvolvedor.
Você gostaria de aprender a programar? Venha e experimente nossas primeiras lições gratuitamente na Escola de Programação CodeBerry.